Arquivo da tag: renascimento

Simbologia no Renascimento

Uma pintura tem qualidades em si mesma, mas também possui características simbólicas. Como pintor presto muita atenção nas qualidades da imagem, como:  manchas  bordas, cores etc. Muitas vezes esqueço que a imagem também pode ter uma característica simbólica muito grande. Isso acontece quando por exemplo, um se pinta uma árvore, mas essa árvore simboliza solidão, ou outro sentimento qualquer.

O renascimento foi um período onde se usava muita simbologia dentro dos quadros. Cada elemento tinha um motivo e um significado para estar na obra, que as vezes não nos damos conta à primeira vista. Conhecer sua simbologia é uma outra forma de apreciar essas imagens.

A pintura abaixo se chama “O batismo de cristo”, foi pintado por Verrocchio e Leonardo da Vinci.

batismo-de-cristo_verrochio_2

O batismo de Cristo – Andrea Del Verrocchio e Leonardo da Vinci – 1470. 

Os anjos à esquerda é atribuído a Leonardo, que era aprendiz de Verrocchio na época da execução da pintura (por volta de 1470). A pintura foi feita com Tempera (misturas de pigmentos com gema de ovo) e posteriormente algumas partes foi retocada com tinta a óleo (pigmentos dissolvidos no óleo de linhaça ou mamona). Na obra vemos cristo sendo batizado por São João batista. Ela foi pintada no estilo renascentista sendo respeitado as regras clássicas de composição, ou seja, as figuras sem demonstrar expressão facial, com seus rostos colocados em posição de modo a ter clareza do retrato (de frente, de lado ou de três quartos). Muita atenção às mãos e pés que junto com a posição do corpo, podem demonstrar as emoções das figuras.  Na parte de cima vemos a mão de deus que libera a pomba que simboliza o espirito santo. A ave de rapina é um adversário simbólico do espírito santo e levanta voo ao ver sua presença. Ao fundo, o coqueiro representa a árvore do paraíso que simboliza a salvação. Ao fundo podemos ver a fonte da água que cristo é batizado, simbolizando a pureza. Na mão de São João Batista podemos ver a inscrição ECCE AGNIVS. É uma abreviação em latim da expressão Dei ecce qui tollit peccata mundi (João, I:29 – Este é o cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo).

anjos_leonardo

Anjos que é atribuído ao pintor Leonardo da Vinci


A questão do estilo em artes

“Não há forma objetiva de se verem as coisas, formas e cores são sempre captadas de maneiras diferentes” Wolfflin

venus-botticellli-e-venus-de-Credi

Vênus de Botticelli (à esquerda) e Vênus de Credi (á direita).

O estilo não é uma mania de cada artista, nem é a imitação de uma aparência. Assim como cada um tem uma grafia, na reprodução de imagens cada um terá um traçado diferente. E quando se fala de arte em seu mais alto nível, é incluída na questão do estilo uma certa intencionalidade. Quando o artista pinta um quadro ou desenha ele está fazendo milhares de escolhas. Todas essas escolhas alteram o aspecto do trabalho finalizado. Quando se vê um quadro, o que se está vendo é o resultado de milhares de escolhas que o artista fez durante o processo de criação. Tentar “ler” essas escolhas é um verdadeiro trabalho de observação e paciência. Tem que se ter em mente que para reproduzir ma imagem, existem praticamente infinitas maneiras de se fazer, e a escolha de como fazer não é aleatória. O artista usa aspectos de sua personalidade, aspectos de seu meio e questões de gosto. Mesmo artista diferentes desenhando um mesmo objeto, sendo totalmente fiel ao o que vêem, os desenhos serão tão diferentes quanto as personalidades de cada desenhista.

Detalhe

Não existe uma forma objetiva de se verem as coisas, as formas e as cores. Cada percepção verá de uma maneira diferente. No livro “conceitos fundamentais da história da arte” Wolfflin comprar duas pinturas da mesma época e com o mesmo tema. Nessa comparação fica evidente a questão do estilo.

O desenho de Botticelli é mais agitado, tem uma certa impetuosidade. O desenho de Credi está mais voltado para a figura em repouso. É mais calma seus volumes mais trabalhados e a figura está isolada (com fundo neutro). Observando os detalhes dos dedos, da pra notar que em boticelli a mão se abre em leque mostrando uma certa tensão maior enquanto no desenho de Credi é mais estático. Trata-se de uma diferença de temperamento entre esses dois artistas que se pode observar tanto no todo quanto no detalhe de cada obra. Para cada um há uma determinada noção de beleza de forma e movimento.

Referência:

“Conceitos fundamentais da História da arte”  Heinrich Wolfflin