Definições sobre a obra de arte

“A finalidade da arte é o deleite”

Poussin

Saleiro de Cellini

Saleiro de Benvenuto Cellini. A obra é datada do final do século XVI. O saleiro foi feito para o rei Francisco I da França. A obra é composta por duas figuras, Ceres e Netuno, que representam a água e a terra.

Definir exatamente o que é uma obra de arte não é tarefa fácil. Não existe um conceito unificado, ou esse conceito varia de acordo com o período histórico. A explicação de que a obra de arte é uma experiência estética parece simplista demais. Todo objeto, feito ou não pelo homem, pode ser experimentado esteticamente. Pode-se apreciar a beleza natural de uma paisagem sem essa ter sido alterada pelo homem e nem por isso, essa paisagem é uma obra de arte. A obra de arte necessariamente é produzida pelo ser humano, então vamos excluir as belezas naturais, mas isso na quer dizer que elas não podem ser apreciadas.

Os objetos feitos pelo homem, que não exigem uma experimentação estética, são chamados de “práticos”. Segundo Guinsburg, os objetos práticos por sua vez, podem ser subdivididos em dois grupos: Os veículos de Comunicação e os aparelhos (ferramentas).  Os veículos de comunicação tem a intenção de transmitir um conceito, os aparelhos e ferramentas tem a intenção de preencher uma função. A obra de arte também podem estar dentro dessas duas categorias. Um poema ou uma pintura histórica podem possuir intenção de transmitir um conceito, portanto é um veículo de comunicação. O Panteão e o saleiro de Benvenuto Cellini são em certo sentido, aparelhos. O túmulo de Lorenzo de Medice, esculpido por Michelangelo, são em certo sentido, ambas as coisas.

Mas chamar essas construções e objetos de meros “veículos de comunicação ou “aparelhos”  não transmitem suas reais importâncias. Isso porque nesses objetos existe uma atenção exagerada na “forma”. O foco de interesse então, daquele que a produz, não está concentrada unicamente em sua função, mas está equilibrada junto com um interesse na forma.

No entanto, o elemento “forma” se encontra em todos os objetos sem exceção e não é possível determinar em que medida esse elemento forma é a que recebe uma ênfase maior.  Portanto não se pode definir em que momento o objeto passa a ser obra de arte. Assim, a esfera em que o campo dos objetos práticos termina e o da arte começa depende das intenções de seus criadores. Quanto mais o objeto é projetado com ênfase na idéia e na forma, mais ele revelará o que é chamado de “conteúdo”.

Para Peirce, conteúdo é aquilo que a obra denuncia, mas não ostenta. É a atitude básica de uma nação, período histórico, classe social, crenças religiosas e pensamentos filosóficos, condensado de forma inconsciente em uma obra. Esses conceitos podem emergir, principalmente, quando o elemento “forma” e “idéia” é voluntariamente enfatizada ou suprimido.

Referências:

Panofsky, Erwin. SIGNIFICADOS NAS ARTES VISUAIS. Ed. Perspectiva.

Anúncios

2 respostas para “Definições sobre a obra de arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: