Maneirismo

É muito extensa a literatura sobre Indústria cultural, mas acho que até aqui já deu para ver muitas referências. Gostaria de falar um pouco sobre um movimento que é pouco comentado, o Maneirismo. Esse movimento veio logo depois do renascimento, na verdade ele representa uma “crise” do renascimento. Mas para entender o que foi esse movimento, antes preciso falar um pouco sobre os conceitos que o renascimento adotava. Vou falar um pouco sobre oque é o Humanismo, e como o Humanismo se tornou uma filosofia (sistema de pensamento). Vou falar sobre Petrarca que é um exemplo de Humanista, e depois vou falar como o Humanismo entrou em crise e deu origem ao o que foi chamado de Maneirismo.

Humanismo

O humanismo foi uma nova postura em relação ao homem que começou a se propagar na Europa, a partir do século XIV. É uma revalorização e um reposicionamento do homem no mundo, baseado nas ideias do mundo antigo. Esse reposicionamento representava uma ruptura parcial com a ideia católica que valorizava mais o divino do que o humano. Mousnier define o espírito humanista da seguinte forma “(…) o humanismo exalta a grandeza do indivíduo e reclama deste um esforço constante no sentido da realização, na sua perfeição mais alta das relações humanas. Aceitando a natureza e o mundo como bons, move-se à vontade dentro deles, sente alegria de viver, possui uma confiança inabalável no progresso indefinido da obra humana, do pensamento humano, do indivíduo e da sociedade” (pg. 26). E ainda acrescenta “O humanismo do renascimento é, antes do mais, uma estética”. É importante analisar os ideais humanistas como uma estética, principalmente para ter uma maior compreensão do renascimento e por fim do maneirismo.

O termo “humanista” foi revivido no século XIV com base nos textos de Cícero e Gélio. Para esses autores, ser humanista significava aproximadamente o que os helênicos identificavam com o termo “Paidéia” ou seja, educação e formação do homem. No século XIV esse termo foi usado para designar o indivíduo que tinha formação em studia humanitatis. Dario e Giovanni em sua “história da filosofia” discorrem sobre essa questão “Sobretudo a partir da segunda metade do século XIV e depois sempre de forma crescente, nos dois séculos seguintes (com seu ponto culminante precisamente no século XV), verificou-se a tendência a atribuir aos estudos relativos às litterae humanae grande valor, considerando a Antiguidade clássica, latina e grega, como paradigma e ponto de referência para as atividades espirituais e a culturaem geral. Pouco a pouco, os autores latinos e gregos se firmavam como modelos insuperáveis nas chamadas ‘letras humanas’, verdadeiros mestres de humanidades”. (Pg. 17)

Bibliografia:

  1. Giovanni Reale/ Dario AntiseriHistória da Filosofia: do Humanismo a Kant (Vol. 2). Paulus/ 2006 – SP
  2. Curtius, Ernest RobertLiteratura Européia e idade média Latina. São Paulo Edusp / 1996.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: